Comunicação Interna

Olá pessoas,

Hoje resolvi falar um pouco sobre o que a falta de comunicação interna acarreta para uma organização (vou falar um pouco da minha visão e experiências).

Sabemos, que de uma maneira ou de outra, nós sempre nos comunicamos, nem que seja por sinal de fumaça alguns anos atrás. É notável que o ser humano adora se comunicar e é por isso que cada vez cria mais (e mais) meios de nos comunicarmos, de nos aproximarmos (ou não né, por exemplo, quando estamos na mesa com nossos amigos e nem ao menos os olhamos nos olhos, cada um no seu mundo digital), de fato estamos perdendo um pouco de olho no olho, o que é lamentável!

Mas vamos ao objetivo…

RadioCorredor

  • Rádio peão (o famoso telefone sem fio) – A “rádio peão” é um dos destaques que mais vemos nas organizações, o ser humano tem necessidade de estar integrado e quando ele está dentro de uma organização que não se comunica com ele é quando mais vemos a rádio peão agir, notamos que em casos que as empresas se preocupam em ser transparentes e verdadeiras na comunicação com os colaboradores, dificilmente vemos os colaboradores vasculhando por mais informações ou descontentes, pois tudo é claro e definido.

Afinal, de um modo ou de outro, todos querem notícias, porém quando ela não vem pelo modo correto (empresa para colaborador), é procurado por outros meios.

É uma difícil realidade, porém as vezes escutamos casos que o colaborador já estava ciente que iria ser desligado da empresa sem ser efetivamente, isso porque a “fofoca” já chegou até ele.

  • Desmotivação – Quando não existe comunicação os colaboradores ficam desmotivados, eles não sabem o que a organização espera de suas funções, atividades, qual trabalho executar, onde a empresa quer chegar, qual é a história da empresa que ele trabalha, não sente orgulho da trajetória da empresa e o contato que ele tem com a direção é na cesta de natal onde vem um cartão assinado pelo Diretor desejando “Boas festas” impresso em uma gráfica.

É importante a interação da organização com o colaborador, vemos exemplos diários de uma notícia sair no Facebook da empresa e os colaboradores nem ao menos saberem disso (o aniversário da empresa é divulgado em todas as mídias possíveis, porém os colaboradores nem ao menos tem ciência dessa data), isso causa desmotivação, as pessoas se sentem menos importante e valorizadas (é como a esposa traída, todos já sabiam e porque não avisaram?)

  • Ruído – No fundo a empresa até tenta se comunicar e tem ideia da importância, porém não sabe o modo certo, não sabe como atingir seus steakeholders, acha que falando o mesmo assunto com o gerente, supervisor, líder de produção, estoquista, vigia, porteiro, vendedor, faxineira, todos irão entender a mesma mensagem, o que não é verdade, pois da mesma forma que estudamos nosso público-alvo, precisamos entender nossos colaboradores, o que fazem dentro da organização, saber sua faixa etária, nível de escolaridade, o que eles esperam da organização, o que sabem, o que precisam saber, entre outros, e assim traçar a comunicação conforme o público.

Uma triste realidade em uma organização é quando a empresa solta uma promoção nas redes sociais, os clientes começam a ligar e a equipe comercial não sabe do que se trata (parece algo fora da realidade, mas acontece).

É preciso treinar e ensinar as pessoas, é preciso incentivar os diretores, gerentes, líderes, colaboradores a importância e o valor em se comunicar, é preciso saber da importância que isso tem nos resultados.

  • Falta de resultados (produtividade) – Colaborares sem comunicação produzem menos e são menos efetivos, eles são o porta-voz da empresa, como você quer que eles (colaboradores) façam seus clientes acreditarem na sua organização se nem ao menos eles acreditam.

É notável que hoje os clientes externos estão cada vez mais exigentes, com marcas com produtos cada vez mais semelhantes, entre qualidade, preço, confiança, eles acabam optando pelo atendimento diferenciado, como a personalização no atendimento, hoje vemos que as empresas estão começando abrir os olhos para essa realidade do mercado, porém as empresas precisam entender que seus colaboradores nada mais são do que clientes também, eles querem ser ouvidos, querem ter orgulho em trabalhar naquela empresa, defender a marca, serem reconhecidos e serem tratados como únicos e não mais um número, uma cadeira. As empresas precisam se conscientizar que colaboradores não são mais números, que se aquela pessoa sair da vaga em menos de uma semana (ou até menos) ela coloca outra no lugar, mas não é assim que funciona, é muito mais complexo.

Existe uma estimativa que fala que se você teve uma experiência positiva com uma marca, provavelmente elogiará e falará bem da mesma para uma pessoa (uma única), mas caso ela se decepcionar é provável que a pessoa impactada negativamente espalhe para sete pessoas do seu ciclo, mudando um pouco de cenário, digamos que você é um colaborador insatisfeito, e que na sua casa moram você e mais quatro pessoas, provavelmente essas pessoas serão impactadas negativamente por você e fora as pessoas da sua família, supondo que você faz uma faculdade e em aula você tem a oportunidade de comentar as dificuldades que a empresa tem e o quanto está infeliz em trabalhar lá, se essa sala tiver 15 alunos, já são 19 pessoas impactadas (junto com sua família) negativamente sobre uma empresa, sendo que essas 19 pessoas poderiam ser leads para a organização (fora os momentos em que encontra alguns amigos e eles também resolvem perguntar  “- E sua vida como está, como está o trabalho?” pronto, mais algumas pessoas impactadas).

Essa semana tive uma amiga que foi convidada para uma entrevista de trabalho, ela falou que optou por não participar do processo seletivo, eu questionei o porquê, ela falou que descobriu que uma conhecida já trabalhou lá e que ela não deu boas informações da organização enquanto trabalhava lá. (com essa informação da minha amiga, acabei também sendo impactada negativamente sobre essa empresa).

Então finalizo com uma pergunta: Por quanto tempo mais as empresas irão perder ótimos funcionários, leads, clientes, fornecedores, parceiros, credibilidade, confiança, entre outros, pelo simples fato de não se comunicar?

Antes de pensar e falar “- Mas, custa caro comunicar” as empresas deveriam fazer as contas de quanto custa para treinar, qual é a hora homem, quanto custa para contratar, quanto custa para demitir, quanto tempo demora um colaborador se integrar na empresa, quanto custa para reverter uma imagem queimada, entre outros, e quanto custa apenas fidelizar seu colaborador se comunicando, fazer com que ele tenha amor e orgulho por estar ali? Com certeza, em termo de custo se comunicar e fidelizar custa muito menos do que conquistar novas pessoas para seu time e engajá-las.

Comunicação interna vai além da empregabilidade, é a forma de obter aliados e parceiros capazes de levar a organização até seus objetivos.

Colaboradores são as pessoas que irão ajudar a empresa a chegar aonde ela quer.

Abaixo umas dicas 😉

comunicación-interna1

Juliana Sartorato Mendonça – 09107558

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s